terça-feira, 17 de abril de 2012

Promoção "Mídia e UFC": concorra a um exemplar de "Filho Teu Não Foge à Luta"

O Observatório da Imprensa tem como tema hoje “Mídia e UFC”. Assim, daremos um livro “Filho Teu Não Foge à Luta”, do jornalista do Sportv Fellipe Awi, que não poderá participar do programa logo mais.
Para concorrer ao presente, basta comentar nesta postagem com uma frase sobre o assunto do Observatório de hoje, dando sua opinião sobre a cobertura que a imprensa tem dado ao crescimento do MMA no País. Não há limites de palavra. Seja criativo!
Concorra a um exemplar do livro do jornalista Fellipe Awi
Não esqueça de nos seguir no Twitter - @obstv - e, no comentário, deixar claro o seu próprio Twitter. É por lá que pegaremos os dados do vencedor da promoção!

18 comentários:

  1. Eu amo MMA. Sinceramente me apaixonei, muitas mulheres acham que e um esporte agressivo. Eu gosto e muito. Só estou um pouco preocupada pq li em algum lugar que tem um Senador, se não me engano que quer tirar a transmição dessa luta ta TV aberta. O que eu acho um aburdo. Não acho que o MMA infuenciem e praticar a violência, pelo contrário. E uma luta que exite disciplina, concentração.
    Eu admiro muito esse esporte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci de deixar o twitter.
      @Dany1zinha

      Excluir
  2. A imprensa ta fazendo a parte dela na conquista desse espaço novo, saudável e importante pro esporte. O MMA ta crescendo e conquistando mais e mais através da imagem de esporte de respeito e disciplina. Já chegou pra ficar. A imprensa sabe disso e claro, só valoriza.

    ResponderExcluir
  3. A imprensa hoje em dia vem divulgando ainda mais os eventos mesmo que sejam eventos ainda pequenos, tive uma experiência bacana esse final de semana ao ir assistir ao 4º Gringo Super Fight, me supreendi com a quantidade de reporteres de diversos veículos ( revistas especializadas, jornais, além da cobertura do Premiere Combate) foi muito bacana acompanhar de perto o trabalho de imprensa, ver de perto as entrevistas e o valor dado aos nossos novos valores do esporte, acho que tem tudo pra aumentar a cada dia, e não me espantaria se dentro de uns 5 anos os jornais passassem a fazer cadernos especializados semanalmente dedicados ao MMA, assim como possue hoje em dia diariamente com o futebol por exemplo. O Brasil tá deixando de ser apenas o país do futebol e se tornando o país do MMA também, fico feliz por ser praticante de jiu-jitsu e conviver no mundo da luta a alguns anos. Osss

    ResponderExcluir
  4. É preocupante, nos dias de hoje, com a violência desenfreada recheando o noticiário tupiniquim, a Globo (tinha que ser a Globo) veicular um "esporte" que, apesar do esforço de seus integrentes em emitir justificativas as mais ridículas, somente incita a violência pela violência.

    Porém, nós sabemos muito bem que a mídia sempre correspondeu, e sempre corresponderá, ao apelo sensasionalista que reina nas emissoras de televisão deste país que oferece pouquíssimo nível de educação ao nosso povo.
    Dinheiro é bom e eles adoram, seja como for,seja de onde vir.

    ResponderExcluir
  5. Emanuel Maciel Ferreira Silva17 de abril de 2012 21:37

    Mídia e UFC é um assunto polêmico, pois nós temos a exposição de belíssimas artes marciais, em contrapartida temos violentos combates que acabam de certa forma sugerindo ao telespectador alienado( principalmente crianças) que violência pode partir para o lado positivo. O UFC virou uma das principais fontes de audiência de alguma das principais redes de comunicação do mundo, e aqui no Brasil, a principal rede preferiu aguardar a ver se realmente daria retornos, com a comprovação positiva, se adquiriu o esporte-evento e passou-se a super-valoriza-lo. Pra mim, é valida a transmissão, desde que se respeite horários ! De madrugada seria formidável, assim só os realmente interessados se dispunham a assistir. https://twitter.com/#!/Emanuelpaysandu /@Emanuelpaysandu

    ResponderExcluir
  6. O problema não é o MMA, a crise está no conteúdo em geral que é veiculado para os lares brasileiros, televisão deve ser usado como instrumento informativo e educativo, o preço mais cedo ou mais tarde a sociedade irá pagar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você. Acho que temos que rever sim o conceito de entretenimento para a TV que hoje está pouco educativa e muito destruidora. Sexo, Violência e outras coisas mais

      Excluir
  7. Acho que o MMA tem público sim, mas acho que em TV aberta poderia sim regulamentar o horário de exibição. Um horário mais avançado seria o ideal e não em horários fáceis para jovens e crianças.

    ResponderExcluir
  8. É realmente um fenômeno; não assisto às lutas, mas como gosto muito de livros me interessei por esse, principalmente por ser a primeira publicação brasileira da editora Intrínseca. O MMA se tornou algo que não pode mais ser ignorado, e tudo isso foi devido à mídia, como a TV. Acompanhando os comentários sobre o livro, essa parece ser uma boa forma de ficar por dentro do assunto ;)

    Abs
    Igor | www.somoscriativos.com
    Twitter: @igoortc

    ResponderExcluir
  9. Estamos vivendo uma realidade de mundo social que é contra a vida, não se importa com o ser que se acaba no crack, aposta num programa de aceleração do crescimento a qualquer custo, valorizam um esporte que ameaça a vida... De fato hoje há uma força do ser humano contra a força da vida! Por isso, é mais do que urgente, que os detentores desse poder chamado TELEVISÃO ( que pasmem - é responsável pela ação e educação de grande parte da população!) tenham um olhar mais crítico e menos empresarial...

    ResponderExcluir
  10. Excelente debate. Eu fiz judô por 8 anos, foram anos de muito e bom aprendizado, inclusive de muito respeito e cuidado comigo mesma e com os outros. As lutas, até mesmo o judô, exige dos praticantes uma certa "dose" de agrecividade, que a gente aprende a sentir e orintar de forma saudável. Agora, acredito que existam pessoas violentas dentro ou fora dos esportes de lutas, e isso precisa ser pensado. Tenho dois irmãos, duas primas e quatro primos que fazem jiu-jitsu, e nenhum deles são violentos, agressivou, nem brigam na rua ou em casa, ao contrário, são carinhosos. Precisamos mesmo, nós sociedade, é de mais debates como esses, em casa, em outros canais e meios de comunicação. E mais educação em todos os níveis. Parabéns a todos que fazeram este programa hoje. Obrigada. @cardosomm

    ResponderExcluir
  11. Acho excelente que a imprensa esteja se adaptando e melhorando para realizar a cobertura esportes como o MMA. É um esporte em alta no Brasil e que só tem a crescer e ganhar mais público. Com a cobertura maior da imprensa todos saem ganhando pois teremos reportagens especializadas e um público cada vez mais interessado e com possibilidade de acesso ao seu esporte favorito.


    @flpalvares

    ResponderExcluir
  12. Não gosto muito de MMA, mas de vez em quando assisto pela TV.
    Ouço muitas pessoas dizendo por aí que é o esporte mais violento de todos, mas não acho que é verdade.Vemos por ai nos outros esportes, uns machucando os outros, como no futebol, sempre há algum jogador fazendo golpe baixo e atacando o outro...Não gosto muito de MMA mas isso não significa que não respeite o esporte, pelo contrário, admiro a coragem, confiança e força de quem pratica e aparece na tv em rede nacional e internacional 'apanhando'.

    @drielymeira

    ResponderExcluir
  13. Assisti ao último Observatório da Imprensa e gostei bastante do debate, principalmente por ter colocado a questão de que o MMA é um esporte, mesmo sendo violento e "nojento". Particularmente não assisto às lutas, pois não faz meu estilo, mas acho importante que os canais de TV coloquem uma classificação indicativa, de modo que os pais de crianças possam ter um controle sobre esse tipo de programa. No mais, fiquei bastante interessada no livro, mesmo não sendo uma espectadora de MMA.

    Meu twitter: @deboravaz

    ResponderExcluir
  14. Toda forma de derramamento de sangue deveria ser inaceitável... raulravanelli@gmail.com

    ResponderExcluir
  15. Olá,

    É notório o crescimento da modalidade esportiva do MMA que popularizou-se no país através da participação de esportistas brasileiros e coberturas de emissoras de TV e outras modalidades da imprensa do maior evento desta modalidade esportiva, o UFC.

    Ao dar visibilidade a esta nova modalidade a imprensa provoca no mínimo 3 discussões a respeito: a visibilidade do esporte, o estímulo a aspirantes e a polêmica em torno da excessiva violencia praticada nos octógonos.

    Enquanto quarto poder, a imprensa populariza a modalidade mostrando a outras pessoas a competitividade e as oportunidades de negócio e renda oferecidos provocando uma polêmica discussão principalmente entre as famílias - o que talvez seja o fator mais complicado de toda essa história. No entanto, com o tempo a imprensa será responsável em moldar a opinião e formar novos pontos de vista sobre o tema, e nesse aspecto a imprensa é comprovadamente eficaz.

    Meu twitter: @sidneimoura

    Abraço!

    ResponderExcluir